BEDA 22 – Sobre falar em público

Foto de 2014 em uma das situações mais constrangedoras de se estar em público: quando o parabéns é pra você.

Hoje escrevi no fórum do curso sobre falar em público, dificuldades, experiências, etc. Resolvi adaptar o textão que fiz lá, para postar aqui. 🙂

Falar em público tem desde sempre sido um desafio pra mim. Eu sempre fui muito tímida, e até hoje tenho receio de falar com quem não conheço e falo baixo.

Nas apresentações da escola e faculdade eu tinha dificuldade em fazer as pessoas entenderem o que eu falava, era difícil mas eu nunca pensei em desistir. A escolha da Publicidade e Propaganda como formação aconteceu por acaso, mas graças a isso aprendi coisas muito importantes sobre comunicação e expressão (mas nada diretamente relacionado a falar em público).

No meu 1º estágio em uma agência, além de programar e-mails marketing e atualizar sites, eu tinha que atender os telefonemas e anotar recado para meu chefe, e falava diretamente com os clientes por telefone. Sinceramente, eu não gostava de atender/falar ao telefone. Preferia mandar e-mail a conversar. Eu tinha muito, por muito medo de fazer alguma coisa errada, e isso me barrava bastante e me deixava prolixa nos telefonemas e e-mails.

Mas conforme o tempo foi passando, foi ficando menos pior por ter me acostumado.

Depois, por um curto período de tempo fiz estágio no Japão – onde não precisava atender o telefone! Eu trabalhava no setor de Design em uma gráfica no interior de uma província. Ninguém sabia falar inglês nem português, e acho que nessa época as habilidades de falar em público foram um pouco melhoradas. Como eu não falava bem o idioma, tinha que me virar com as palavras certas ao passo em que incrementava o vocabulário. E por conta deste estágio, tinha que fazer várias auto-apresentações decoradas em vários momentos, para os mais variados tipos de pessoas. Foi realmente a “prática que leva à (quase) perfeição”.

Os anos se passarem, eu mudei de área e passei a ser Gerente de Projetos. Saí da Criação e desde o 1º dia lido com os clientes, recebendo os pedidos e negociando prazos, e repassando esses pedidos para a equipe interna em forma de briefing. O telefone toca todo dia, respondo mais de 20 e-mails/mensagens por hora, e tem sido um treinamento diário de paciência e superação dos medos.

Nem todos os dias são fáceis. Às vezes preciso respirar fundo antes de escrever uma resposta ou atender um telefonema. O importante é mantermos a parceria de trabalho e nunca se perder o respeito, e ser levada a sério.

Hoje em dia não digo que estou super treinada – ainda tenho muito o que aprender, mas já me sinto mais bem preparada que antes, para lidar com as situações.

Alguns episódios que aconteceram nas semanas anteriores de aula me mostraram a importância de saber se expressar bem em público e de controlar as emoções, mantendo o respeito entre os colegas.

É fundamental mantermos a postura e o coleguismo. Isso não significa que tenhamos que concordar em todos os aspectos – só não podemos levar isso para o lado pessoal nem tentarmos impor nossas opiniões. Devemos nos esforçar para nos fazer compreendidos o máximo possível, e ter empatia com aqueles que não conseguem da mesma maneira.

Estou disponível para ajudar quem tiver dificuldades com o pouco que sei, e ir trocando dicas e experiências.
Estou aqui para ajudar. 🙂

 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *