BEDA #11 – Chibi Moon

Chibi e Moon quando chegaram (11/2/2017).

AVISO 1: Contém textão.
AVISO 2: Contém overgato (overdose de foto de gato)

– É só escolher.

Essa mensagem enviada por um amigo em janeiro contribuiu para uma das grandes mudanças em 2017. Antes dessa mensagem, tinha recebido este link de gatos para adoção no site da AUG.

A ideia de adotar um gatinho já vinha amadurecendo há um tempo na minha cabeça, mas ainda vários medos se passavam. E se não der o dinheiro? E se não souber como criar? E se eu não der conta? Até então eu só tinha tido catioros de estimação, e imaginava que gato seria uma parada totalmente diferente.

E foi.

Mas fui lá, com a cara e a curiosidade, escolher um gatinho. Sempre pensei em adotar pelo menos um gato adulto ou mais velhinho, por já ter personalidade formada. Queria um que fosse mais calminho e “menos destruidor”. Queria tantas coisas…

E aí eu vi os olhinhos (de gatinho do Shrek) da Malagueta e me apaixonei.

A história da Malagueta não era tão feliz. De acordo com o site, ela tinha vindo de uma colônia de gatinhos e conheceu os maus tratos do ser humano. Ela já tinha um pouco mais de 1 ano e em sua descrição estava claro que era uma gatinha assustada e que, de preferência, seria melhor se fosse adotada junto com a irmã, Pimenta. Só deixariam adotar ela sozinha se a casa já tivesse outro gato na casa.

E depois disso eu conheci a Pimenta.

Parecia muito maior que a Malagueta, um olhar mais sério e desconfiado, porém parecia ser um pouco mais sociável. Uma gatinha tão linda quanto a Malagueta.

E depois de refletir resolvi adotar as duas, juntinhas. Preenchi um formulário bem grande e depois de muitas trocas e e-mail, para ter certeza se era isso mesmo que eu queria, consegui as meninas.

E elas chegaram pra mim com aqueles olhinhos e olhares assustados e curiosos. Pimenta chegou babando de stress. Malagueta se enfiou atrás da caixa de areia e só foi sair quando fomos dormir, e fazia fuuu se tentávamos nos aproximar. Elas estavam tão assustadas quando chegaram que não tivemos nem coragem de encostar nelas com medo de piorar a situação.

Até hoje a gente não conseguiu encostar nelas direito 🙂

No dia seguinte, acordamos e não as encontrávamos em lugar nenhum. Foi a 1ª “caça-ao-gato” que fizemos. Após um tempo encontramos Pimenta dentro do armário da cozinha e Malagueta dentro da armação do sofá. No 2º dia, Pimenta descobriu um ótimo esconderijo embaixo da cama, onde ninguém poderia chegar perto. E ali ficou por mais de um mês.

Malagueta deixou de ser Malagueta e hoje é a minha Chibi (minha pequena ferinha).
E Pimenta deixou de ser Pimenta e hoje é a minha Moon (minha luazinha cheia).

E sim, eu adoro Sailor Moon! XD

Cuidar de gatinhas adultas e assustadas é um desafio e tanto. Preciso de uma boa dose de auto-controle também, pois minha vontade é de apertá-las e dar muito carinho. Mas meu carinho por enquanto se limita a pequenas demonstrações.

E o carinho delas eu sinto no olhar.

O progresso é lento mas existe. Hoje em dia estão totalmente ambientadas, mas o medo do ser humano ainda é muito grande. Aprendi a me mover um pouco mais devagar. Aprendi que gato tem rotina. Aprendi que gostam de sachê, mas não é de qualquer sabor. Aprendi que não tem tempo ruim com ração e areia pra elas. Aprendi que se um dia eu quiser encostar nelas terei que esperar até que elas queiram encostar. Aprendi muitas coisas com ela e continuo aprendendo.

Paciência e persistência, sempre. Desistir, jamais. Amor e vontade de dar certo, em todos os momentos desde o momento em que as vi.

Gratidão por estes 6 meses que vocês fazem parte da minha vida, minhas filhas <3

Abaixo, fotos caseiras e mal tiradas por mim para lhes mostrar a evolução de Chibi Moon. =)

Continue Reading